Kabbalah e o Receber

O que é Cabala? 

Cabala: aquilo que é recebido. Aquilo que não pode ser conhecido apenas através da ciência ou da busca intelectual. Um conhecimento interior que tem sido passado de sábio para aluno desde o despertar dos tempos. Uma disciplina que desperta a consciência sobre a essência das coisas. 

Seu conhecimento nos traz uma das maiores aprendizagens: Saber RECEBER...seja conhecimento, prosperidade, riqueza, amor, sabedoria, respeito...enfim...LUZ! 

 

Nossa aprendizagem aqui é trazer a luz do criador para nossas vidas e assim experimentar tamanha plenitude. 

Nosso processo, então é a reconexão com a força de luz do criador, o que nos coloca em contato com a força e poder internos, o poder de dar e criar que existe dentro de nós. E isto traz a reintegração. 

Quem não quer sair da dor e do sofrimento, um sofrimento interno que se traduz por pequenas coisas do dia dia, que chegam até nosso ser mais consciente, nosso ego. 

Aprender a receber faz com que a luz seja moldada. Somos vasilhas, receptores e é este que detem a luz, molda e direciona. A luz sem direção é destrutiva. 

O SEGREDO É O RECEPTOR. 

A luz é o pensamento, as emoções, a energia, a alma, é Zeir Anpin, termo cabalístico, que se refere as 6 sefirot emocionais (midot). * Veja abaixo mais sobre Zeir Anpin e Midot. 

Zeir Anpin: Ze'ir Anpin (" O Impaciente "): as seis Sefirot de Chesed até Yesod. É uma estrutura que representa a manifestação de energias e qualidades emocionais da luz. Zeir Anpin é a pequena face, espelho da luz maior, a grande face. São estruturas espirituais. Zeir Anpin deve ser corrigido, também organizado em sua estrutura emocional, para direcionar a luz de forma correta, eu diria que com forma..para que a vasilha possa receber. E isto depende da vasilha, também. 

Zeir Anpin é o masculino, a luz, o Adam e a vasilha/receptor é o feminino, o corpo, Hava (Eva). 

Midot: É um fluxo de energia, o fluxo emocional representado pelas sefirot de Zeir Anpin, mais malchut, as 7 sefirot. Elas recebem a luz mais pura de Sechel, da mente Divina ( das 3 sefirot de cima). Devido ao esquema da criação, ao pão da vergonha, a não troca que as estruturas criadas fazem, estas duas partes se separam..a mente da emoção. Exatamente como acontece com a gente ( Micro e macro). 

 

 

E aprender a receber não é algo, assim, tão ligado a nossa consciência, quem recebe é a vasilha(receptor) e esta vasilha deve passar por transformações, Tikun, para receber a luz verdadeira. É por isto que não recebemos tudo que queremos. O que existe aqui são marcas de um processo de vidas passadas, (Hashgachá) onde nossa vasilha/receptor carrega estes padrões e necessita passar por mudanças. Para isto deve se desfazer do egoísmo (Yeshut), daquilo que se move pelo “eu, eu, eu, eu quero... e tem que ser do meu jeito”, algo que na maioria das vezes nem percebemos que fazemos. No final a aprendizagem da vasilha é da perda de achar que tem controle sobre tudo. (escrevi no blog um texto sobre isso – http://caminhoscabalisticos.blogspot.com/2009/02/um-novo-destino.html). 

A questão é: quanto de luz você pode receber? 

O quanto de luz você está recebendo? Traduzindo... o que está chegando em sua vida? O que de bom está chegando?  Que de ruim? 

O que é bom e o que é ruim? Isto tem relação com a luz, com prazer e dor. A função do ruim é sempre nos transformar para que possamos receber o bom, o prazer. Como somos seres de Livre Arbítrio, e não nos damos conta, fazemos escolhas as cegas.... devido as marcas de padrões, nos movimentamos na vida com os desejos negativos, de não merecimento, através de padrões egoísta atraímos as cascas, o pão da vergonha, logo bloqueios. 

*Veja o que é o Pão da Vergonha: Imagina você ganhar algo de alguém, todos os dias e não ter nada para retribuir (nem um sorriso, nem um obrigado....) sabe como voce vai acabar se sentindo? 

Você vai ter um sentimento ruim e vai embora! 

Pão da vergonha é um conceito dado pelos cabalistas, chamado de Lechem Bizaiom,  que mostra a dinâmica da criação. Uma dinâmica de troca que trava quando não existe a energia da troca, pois aparece um sistema inteligente que faz com a luz da criação se retire, quando não encontra mais os recipientes da criação com espaço para receber, pois já estão preenchidos. 

 

Estamos aqui para transformar o receptor...e nosso dia dia vai trazendo desafios para que possamos realizar a nossa obra, receber o que desejamos. 

Aonde está nosso maior Tikun, correção – está nas coisas que mais desejamos e sofremos para ter. A vasilha/receptor tem algo que não está permitindo. 

O plano espiritual atua em nossa vida trazendo as chances de transformação, nossa alma (Nissayon- provas, oportunidades), também atrai situações para que possamos mudar o receptor. 

Mudar o receptor é mudar seus pensamentos, sua postura, sua forma de agir.... que você nem se dá conta. 

Ex. imagine que você tenha uma agenda cheia, com compromissos importantes, os mais importantes da sua vida ( naquele momento...isto é o que vce acha!) Você está ansioso, correndo....vivendo sua rotina...com mil coisas..e derrepente na corrida, você bate seu pé e quebra seu dedo. O dedinho, o menor.....E a dor que você sente é de sua agenda e sua vida, estressante, mas sob o controle de seu ego, ir abaixo. 

Num primeiro momento você pode se desesperar, tentar negociar com você para não ir na emergência... e depois negociar com o medico para continuar a sua vida. 

Esqueça! 

Você se ralou (rsrsr)....fica imaginando as perdas..... 

Sabe o que eu te diria? RELAXE.. este é o desejo da luz! Este é o desejo de sua alma...para corrigir a sua vida e você ter aquilo que deseja. Isto mesmo...aceite como uma oportunidade de TIKUN, reparação. 

Você pode não se dar conta, mas a sua vida estava “quebrada”, fragmentada, enlouquecida, em desequilíbrio..você é a causa e as energias negativas (contra inteligência, satã) que nos empurram, que nos atacam..... 

Tudo é aprendizagem e o universo tenta nos ajustar para seguirmos a ordem maior. 

A Luz/o universo não está dizendo para você não trabalhar....mas de outra forma. Ele não está dizendo para você não descansar...mas de outra forma, não está dizendo para você não se divertir...mas de outra forma...sob um novo ângulo! 

Você pode fazer as mesmas coisas....mas de uma outra forma, por um outro caminho. 

Bem daqui podemos ter uma outra impressão do que é bom e do que é ruim. 

Nem sempre o ruim é ruim, mas pode ser bom e o bom nem sempre é bom, mas pode ser ruim. 

A sabedoria da Cabala conta que cada dia da Criação tinha um momento de escuridão e um momento de luz, tinha o bom e o ruim. Nos seis dias da Criação, as coisas mais sagradas e as mais profanas foram criadas, 

Nos ensinamentos cabalistas, este mundo que influi no bom e no mal é chamado de tohu – o mundo do caos. 

 

0
0
0
s2sdefault