A Comida Sagrada da Kabbalah

 

Nossos sábios ensinam que o lar de cada judeu é como um "pequeno Santuário", um local de morada da Presença Divina; Uma mesa de refeições é comparada ao altar do Templo Sagrado. O maior cuidado deve ser feito para que apenas o que é um acordo com uma lei judaica fossa ofertado sobre o altar do Templo. Da mente maneira, devemos cuidar para que apenas o correto trazido à nossa mesa - o altar em miniatura.

 

"Pois Eu sou o Vosso D'santificai-vos, portanto, e sede santos, pois Santo sou Eu" (Levitico 11:44).

 

Comer é um ato divino - pode escolher qual o caminho a seguir ... saudável ou não. Comer Ochel, em hebraico tem uma palavra EL, nome de D'us, e soma 57, soma do tetragrama (26), mais EL (31). Com isto percebemos que no ato da alimentação existe um trabalho espiritual, que nos liga a D'us.

 

Existe em nós, não olhar para uma cabala, um esforço de elevar tudo o que é mais grotesco ao mais alto de todas as energias, como formas mais baixas seriam elevadas como mais altas e assim como formas passam pela nutrição e denomina-se progressso.

A materia é absorvida, digerida e utilizada pelo homem e se integrar a sua consciência. E como comemos o alimento para consolidar o corpo material, precisa-se achar o espírito deste alimento, para alimentar o espírito. Através da Tora pode descobrir aonde encontrar este espírito. Temos, então, uma necessidade desta energia, esta está adormecida na matéria, despertamos ela nos alimentos pela benção. Elevando-os, despertamos a alma dele a unir-se a nossa. Ela inundará nossa alma e nosso corpo com benefícios.

 

Por que precisamos comer?

 

A question se complica ainda mais quando consideramos que são mais dependentes de matéria inanimada - ar e água - que como plantas, e ainda mais plantas de que animais. A hierarquia da Criação parece invertida; Normalmente, deveríamos esperar que, quanto mais força vital aparente em alguma coisa, mais vida aquilo seria capaz de conceder.

 

"Nem só de pão vive o homem, mas a palavra de nós" (Deuteronimio 7: 3).

 

O sistema digestivo extrai os nutrientes, enquanto um Neshamá, uma alma, extrai uma centelha Divina que se encontra na natureza. Estas "centelhas" provêm de uma fonte de Divindade mais elevada ainda que um Neshamá do homem.

A energia Divina em cada molécula de alimento é o que realmente nos dá vida. 

Alimento = LUZ

O ato de comer, dormir, acordar, caminhar e agir em todas as esferas de nossa vida está intrinsecamente ligado a elevação das centelhas Divinas que se encontram em nosso caminho. Comer ou beber é apenas uma ínfima, mas essencial, parcela de todas as ações que nos ajudam a entender e a nos aproximar um passo a mais do Criador.

O corpo é o único meio através do qual a alma se expressa. "Assim como o artesão não pode fazer seu trabalho sem as ferramentas adequadas" - escreveu o cabalista do século XlII, Rabi Menachem Recanati - "também a alma não pode cumprir sua tarefa sem um corpo que coopere;

 

NECESSITAMOS DE DISCIPLINA E AUTOCONSCIÊNCIA

 

Comer significa transformar, comer bem significa elevar.

É preciso acrescentar alguns  ingredientes aos alimentos: intenção correta, benção sincera, para que possamos nos alimentar da arvore da vida.

Deveria ser um um meditativo, onde pudéssemos refletir que aquilo que colocamos para dentro de nós, nos forma, forma pensamentos e emoções. "Somos o que comemos" 

Comemas pensamentos, imagens, emoções, tais como desvantagens - aprender a filtrar tudo que nos chega, como 7 aberturas da cabeça vão correspondendo como 7 principais sefirot - emoções internas. Absorvemos poluição, nos poluímos, nos matamos. O que você precisa fazer parte de nós

 

"Aquele que não tem seus próprios transgredir três mandamentos: desrespeito a si mesmo;

 

Adriana Finkelstein

Profa de Kabbalah em Porto Alegre

WWW.escoladekabbalah.com

Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

 

0
0
0
s2sdefault