TZIM TZUM - Isak Luria

Para muitos cabalistas a criação é o resultado do chamado TZIMTZUM – que a contração de D'us nele mesmo, ou a retirada da luz, no espaço (vazio) onde ele mesmo expandiu. D'us se expressa, mas necessita colocar limites em sua “atitude”.... não deveríamos estarmos consciente deste ato??

O ponto inicial, transforma-se num segundo ponto, num terceiro... e assim sucessivamente. Este ponto é o Even Shetia, a pedra fundamental, ela é a marca do centro do mundo, considerada a pedra na qual Yacoov deitou, ela foi a matéria das tabuas das leis, e a primeira pedra do Templo Sagrado. Fundamento do mundo. Ela é a fundação, que corresponde a 9° expressão de D´us. 

Quando D'us se expressa no vazio, sua luz toma conta de todo o espaço e tudo volta ser como antes... a contração da luz faz criar muitos pontos, ela gera a expressão de uma forma diferente. O pensamento quando se concentra vira palavra, e é com a palavra que D'us se liga.

O TzimTzum gera um espaço vazio e um novo espaço vazio... e assim vai...., é ele que gera a falta, o Heeder, a escuridão. Diz-se que o primeiro ato de D'us é de uma potencialidade negativa. D'us cria a  escuridão, as trevas e forma a luz. A luz pré existe.

 

Tzimtzum é a restrição do impulso de expandir, de uma energia que está sempre ali para dar a luz. Parar de dar a luz por que aquele/aquilo que recebe não saber receber.

 

O TzimTzum é a retirada de uma força, é a correção, o que gera a consciência, é aquele “piano que cai”. Para cada pessoa existe um limite, existem momentos de consciência. A Restrição é o que faz o ser evoluir, como na relação do bem e mal.

Precisamos descobrir que nossa alma vem do Criador, mas o que nos diferencia é o desejo, por isto que precisamos muda-lo para nos aproximar Dele.

A diferença de forma faz com que as almas estejam eternamente separadas de D'us – com isto D'us cria um canal/escada, mundos, que através deles o homem pode receber sua luz.

Para que alguém receba o que está desejando, é preciso que exista a capacidade (Merecimento), o querer e apreciar.

É comum darmos demais, criando um novo desequilíbrio

 

QUEBRA DAS VASILHAS

 

“Muito do que se encontra na Cabala de hoje aborda a elevação das centelhas sagradas. Isto decorre do ensinamento de Lúria, que diz: "Não há aspecto da exis¬tência, incluindo os de natureza orgânica e inorgânica, que não esteja repleto de centelhas sagradas, que estão misturadas às klipot (cascas) e dela precisam ser sepa¬radas e elevadas."3

Imagine que você seja um artesão, com uma quantidade fixa de ouro fundido que deve ser derramado num molde, a fim de fazer uma obra de arte perfeita. Esta obra de arte irá irradiar uma luz mágica que permeará o mundo e produzirá o mais alto nível de consciência primordial em toda a criação. Entretanto, na hora que você derrama o ouro no molde, algo terrível acontece: o molde se racha, e parte do ouro vaza e escapa.

O único jeito que você tem para completar a obra de arte é juntar todo o ouro perdido, num só lugar, a fim de novamente fundir o ouro no molde. Enquanto o ouro se espalha, cada parte se divide em incontáveis átomos de ouro, que se di¬fundem por toda a criação; cada um deles fica envolto por uma casca de poeira que faz com que fique oculto. 0 ouro é levado a toda parte, e a única maneira pela qual você pode terminar o trabalho de fundir e completar sua obra de arte é ter a ajuda de muitas outras pessoas para recolher o ouro.

O ouro representa a luz da consciência divina e cada átomo, uma centelha do sagrado. Se elas forem recolhidas num só lugar - não é um lugar físico, mas sim-bolicamente o centro do universo -, todas as centelhas combinadas irradiariam consciência primordial. Mas, quando dispersas, as centelhas caem para níveis de consciência cada vez mais densos, representados pelas cascas ou carapaças (klipot) que as envolvem.” David Cooper

 

D´us criou um espaço com o desejo de receber, ao receber não suporta a luz, se preenche e estoura, por que ainda não possui consciência de repartir e muito menos outra vasilha querendo receber. D´us se retira! Tzimtzum. A quebra deste espaço, chamado de  vasilha (Kli) faz com que surjam muitas novas vasilhas desejantes, e com isto a necessidade de compartilhar para continuar recebendo. Estas primeiras vasilhas são espirituais.

 

 

0
0
0
s2sdefault